“O PREÇO DA BENÇÃO”

Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. Disse Eliseu: Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito.” (2Reis 2.9)

Diante dos desafios que a vida moderna nos apresenta, todo ser humano tem o desejo de melhorar a sua condição de vida: conseguir um emprego melhor, morar em uma casa maior, ter uma condição financeira que possa satisfazer os anseios e desejos de seus familiares. Se no mundo material, físico, isso acontece, no aspecto espiritual não é diferente. Todos nós, por mais que sejamos “mornos” na fé, vira e mexe queremos conseguir de Deus uma autoridade espiritual maior a fim de melhor servi-Lo. Nosso desejo é o de sair por aí expulsando todos os demônios que cruzarem o nosso caminho; orar e ver paralíticos levantarem, cegos enxergarem e assim por diante. Queremos fazer as coisas que o Senhor Jesus fez enquanto esteve no mundo e mais um pouco como Ele nos garantiu que poderíamos fazer em João 14.12, mas nem sempre estamos dispostos a pagar o preço para sermos usados por Deus.
Observemos alguns aspectos na vida de Eliseu, que pediu porção dobrada do espírito que havia em Elias e vejamos o que podemos aprender com esse grande homem de Deus.
“A Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei sobre Israel e também Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar.
Quem escapar à espada de Hazael, Jeú o matará; quem escapar à espada de Jeú, Eliseu o matará.
Também conservei em Israel sete mil, todos os joelhos que não se dobraram a Baal, e toda boca que o não beijou.
Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Elias passou por ele e lançou o seu manto sobre ele.
Então, deixou este os bois, correu após Elias e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. Elias respondeu-lhe: Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo.
Voltou Eliseu de seguir a Elias, tomou a junta de bois, e os imolou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se dispôs, e seguiu a Elias, e o servia.”( 1Reis 19.16-21)

A começar pelo nome, Eliseu já era um homem como poucos. Eliseu significa “Deus é Salvação”. Com Certeza, quando seu pai Safate escolheu esse nome nem imaginava o quanto seu filho seria usado por Deus, a ponto de só ser ultrapassado nos milagres realizados pelo Senhor Jesus.
“Deus é Salvação”. Alguém que traz em si mesmo o anseio divino de alcançar indistintamente a todos, curando, ressuscitando, salvando a todos quantos cruzassem o seu caminho.
Eliseu foi usado de tal maneira por Deus que se fossemos detalhar os milagres operados através dele, necessitaríamos de muitas páginas para mencioná-los e comentá-los.
Quem não gostaria de ser como Eliseu?
Quem não gostaria de ser usado por Deus como ele o foi?
Imagine. Como você se sentiria se ao estar andando pela rua e encontrar uma viúva necessitada que perdeu todos os seus bens e está a ponto de perder a guarda dos filhos e aflita pede a sua ajuda e lhe oferece apenas uma botija de azeite (2Rs 4.2) como objeto para a solução do problema. Você orar e ver Deus multiplicar aquele azeite de tal forma que ela possa pagar toda a sua dívida e ainda viver do que sobrou?
Se você encontrasse um homem leproso no caminho (2Rs 5) e simplesmente mandasse-lhe um recado para se banhar 7 vezes no Rio Tiête (rio sujo de São Paulo)? Ele fosse e a lepra saísse dele?
Quem não gostaria de ver Deus operar através de sua vida e realizar todas essas coisas? Eu gostaria. E você não? Claro que gostaria!
Só que no reino de Deus as coisas não são adquiridas somente na esfera do desejo, mas são conseguidas na esfera do realizável. E nisso há uma grande diferença porque eu posso ter o desejo de fazer ou conseguir algo, mas muitas vezes não quero fazer nada para que isso aconteça.
Você tem um terreno maravilhoso na praia. De frente para o mar. Você olha para ele e fica idealizando a casa dos seus sonhos. “- Há quando ela estiver pronta! 10 dormitórios, 5 salas, 11 banheiros, garagem para 50 carros…” Passam os anos e você continua sonhando. Você não faz nada para começar a construção. O terreno, você recebeu como parte de uma herança. Você ganha 2 salários mínimos por mês, trabalhando de segunda a sábado… Você tem duas opções: ou você cai na real, como se diz no popular, e vende o terreno, porque você não tem condições nem de construir um cômodo e cozinha; ou procura um emprego melhor.
Sabe o que vai acontecer se você continuar sonhando? O terreno vai continuar lá. Não ficará igual, porque o mato vai cobri-lo a ponto de um dia você for procurá-lo e acabar encontrando uma floresta no local.
Essa é a grande diferente entre o desejar e o realizar.
Eliseu queria a bênção, não importava o preço que tivesse que pagar.
Quando Elias passou por ele e lançou-lhe o manto, Eliseu percebeu que era o momento tão esperado.
Quantas noites na presença do Senhor, buscando preparar-se para aquele momento singular? Eliseu não deixou por menos: pediu logo a porção dobrada. Ele não queria pouca coisa. Ele havia se santificado, se purificado. Estava disposto a tudo para ver seu desejo realizado.
Todos querem mais unção, mas o que temos feito para nos tornarmos aptos a recebê-la?

1 Quando estava o SENHOR para tomar Elias ao céu por um redemoinho, Elias partiu de Gilgal em companhia de Eliseu.
2 Disse Elias a Eliseu: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Betel. Respondeu Eliseu: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, desceram a Betel.
3 Então, os discípulos dos profetas que estavam em Betel saíram ao encontro de Eliseu e lhe disseram: Sabes que o SENHOR, hoje, tomará o teu senhor, elevando-o por sobre a tua cabeça? Respondeu ele: Também eu o sei; calai-vos.
4 Disse Elias a Eliseu: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Jericó. Porém ele disse: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, foram a Jericó.
5 Então, os discípulos dos profetas que estavam em Jericó se chegaram a Eliseu e lhe disseram: Sabes que o SENHOR, hoje, tomará o teu senhor, elevando-o por sobre a tua cabeça? Respondeu ele: Também eu o sei; calai-vos.
6 Disse-lhe, pois, Elias: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou ao Jordão. Mas ele disse: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, ambos foram juntos.
7 Foram cinqüenta homens dos discípulos dos profetas e pararam a certa distância deles; eles ambos pararam junto ao Jordão.
8 Então, Elias tomou o seu manto, enrolou-o e feriu as águas, as quais se dividiram para os dois lados; e passaram ambos em seco.
9 Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. Disse Eliseu: Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito.
10 Tornou-lhe Elias: Dura coisa pediste. Todavia, se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não me vires, não se fará.
11 Indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. (2Reis 2.1-11)

Nesta caminhada rumo à bênção do Senhor, Eliseu nos ensina, dentre outras coisas, que precisamos passar pelo menos por quatro fases em nossa vida para consegui-la. Os quatro locais por onde passou representam as quatro etapas dessa transformação que ocorreu em sua vida, até o momento de ser abençoado por Deus:

1- GILGAL REPRESENTA O LOCAL DE PURIFICAÇÃO

Precisamos destruir a ponte que nos liga ao mundo.
Tão logo foi tocado pelo manto, que representava o poder de Deus sobre a sua vida, deixou os bois, despediu-se dos seus pais, voltou e matou os bois e com os aparelhos que serviam para arar a terra fez o fogo que consumiu o holocausto e distribuiu a carne entre o povo.
Não havia mais nada que pudesse prendê-lo ao passado. Estava livre para servir ao Senhor.
Queremos a bênção, mas não queremos deixar os nossos hábitos antigos.
Jesus veio ao nosso encontro e nos encontrou, mas nós não tivemos um encontro real com Ele.
Parecemos aquele rapaz rico que ao encontrar com Jesus pergunta ao Senhor o que precisaria fazer para herdar a vida eterna ( Lc 18.18-24).
Para recebermos a bênção do senhor precisamos purificar os nossos corações, limpar toda imundície que há dentro de nós. É necessário “nascer de novo”. Precisamos nos esvaziar do velho homem para que o Senhor possa nos encher com Sua virtude e poder.
Se permanecermos apegados ao mundo e aos seus prazeres fica praticamente impossível a operação do Espírito Santo transformando as nossas vidas. Precisamos abandonar a tudo e a todos que nos prendem ao passado pecador.

GILGAL NOS DESAFIA A ABANDONARMOS A NOSSA VELHA NATUREZA.

2- BETEL REPRESENTA O LOCAL DO DESPRENDIMENTO

Tendo entrado no processo de purificação, Eliseu começou a demonstrar toda a sua fidelidade a Deus.
Os discípulos dos profetas tentaram colocar mais lenha na fogueira, na esperança de que Eliseu se abatesse. Quando lhe disseram que o Senhor haveria de tomar a Elias, ele não deixou por menos e mandou que todos se calassem. E daí em diante, até o traslado de Elias esses discípulos ficaram tentando desanimá-lo, mas não conseguiram.

É EM BETEL QUE NOS LIVRAMOS DOS PESARES, DAS TRISTEZAS E DA DOR.

É em Betel que terminam as forças humanas e começam as de Deus.
Neste momento começam as nossas buscas e lutas no mundo espiritual, as batalhas de oração, as vigílias de oração, as madrugadas com Deus, muitas vezes o jejum para nos quebrantarmos e a constante humilhação diante do Senhor.

NÃO HÁ COMO ENFRENTAR JERICÓ SEM PASSAR POR BETEL.

3- JERICÓ REPRESENTA O LOCAL DAS LUTAS INTERIORES.

As barreiras físicas não são tão difíceis de superar, pior mesmo são as barreiras internas, no nosso intimo, aquelas que ninguém conhece somente Deus.
Porque depois de passarmos por Betel, talvez nos achemos os mais espirituais. Talvez seja esta uma das barreiras mais difíceis de transpor.
Ninguém pode nos ajudar.
Não adianta dinheiro.
A oração e o jejum dos irmãos ajudam, mas não resolvem.
A luta é nossa. Cabe somente a nós mesmos o empunhar a lança e lutar.
Quando chegarmos a Jericó será necessário vermos cair as muralhas dos preconceitos denominacionais, da amargura, do ressentimento, das briguinhas tolas, da vaidade, do orgulho, da mentira (dizer que já temos a bênção quando não a temos), da incredulidade…
É a hora de deixarmos de nos espelhar no irmão ou no líder e olharmos firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, Jesus, como nos ensina o autor da carta aos Hebreus.

4- JORDÃO REPRESENTA O LOCAL DA PRESENÇA DE DEUS

Muitas vezes ficamos imaginando que a bênção do Senhor irá se manifestar em locais maravilhosos, jardins verdejantes, mas às vezes, Deus pode se revelar em locais sem grandes ou nenhum atrativo.

O JORDÃO ERA A DIVISA ENTRE O FINAL DA LUTA E O RECEBER DA BÊNÇÃO.

O Jordão representa o momento da dificuldade que se nos apresenta, mas representa também o milagre de Deus em nossa vida.
Quando chegamos ao Jordão, o nosso desejo de receber a bênção é tão grande que nem cogitamos retornar. Precisamos atravessá-lo, mas como fazê-lo sozinhos?
É nesse momento que Deus começa a operar os seus milagres. Já não alardeamos que fizemos isso ou aquilo porque compreendemos que por nós mesmos não conseguiríamos realizar nada, mas que foi o Senhor quem fez tudo e fomos apenas o instrumento usado por Ele naquele momento para realizá-lo.

AO ATRAVESSARMOS O JORDÃO DEVEMOS PROSSEGUIR COM PERSEVERANÇA E DETERMINAÇÃO.

Eliseu não relaxou ao passar pelo Jordão. Ao contrário, ficou ainda mais ligado em Elias. Parecia que tinham passado “super bond” para colar os dois, de maneira que não podiam se separar.
Quando Elias é levado pelo Senhor numa carruagem de fogo, Eliseu contemplou-o e deve ter tomado um susto daqueles. Mas refeito do susto tomou consciência do que viria.

AGORA ERA ELE E DEUS!

O Senhor havia recompensado o seu esforço e principalmente sua sinceridade, seu desejo de receber mais poder para melhor servi-lO. Mas o trabalho estava apenas começando para Eliseu, pois há quem muito é dado muito lhe será cobrado e vemos ao longo da Bíblia que sua vida foi pautada pela firmeza na mensagem que Deus lhe deu.
Conclusão.
Deus tem prazer em abençoar, mas espera que nos esforcemos, que façamos a nossa parte para conseguir a bênção, para que a valorizemos.
Se você deseja ser um vaso precioso nas mãos do Senhor, se prepare para passar por Gilgal (local da purificação), por Betel (local do desprendimento), por Jericó (local das lutas interiores) e pelo Jordão (local da presença de Deus).
Conseguida a bênção seja perseverante e viva com determinação, fazendo tudo para que o nome do Senhor Jesus Cristo seja glorificado através da sua vida.
Que Deus o abençoe e use grandemente.
Antonio Carlos

ESTÁ BELA REFLEXÃO FOI ENVIADA PELO AMADO IRMÃO ANTONIO CARLOS

Anúncios
Published in: on janeiro 21, 2010 at 2:55 pm  Deixe um comentário  

The URI to TrackBack this entry is: https://franciscafesempre.wordpress.com/2010/01/21/o-preco-da-bencao/trackback/

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: